Empresários Florestais debatem problemática do Nemátodo da Madeira do Pinheiro

 

Foi no passado dia 3, que a ANEFA - Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente, organizou na Lousã um encontro técnico para debater a problemática do Nemátodo da Madeira do Pinheiro (NMP).

O workshop que contou com a participação de mais de 160 empresários, técnicos e operadores florestais, demonstrou a grande preocupação em torno da fileira do pinho, apontando alguns dos principais entraves e identificando os requisitos necessários ao abate, eliminação de sobrantes, circulação, e armazenamento de material de coníferas hospedeiras, face às novas condicionantes legais.

Pedro Serra Ramos, Presidente da ANEFA, alertou para o facto de se ter de olhar para esta questão como um problema de todos, uma vez que a floresta de pinho está fragilizada, e todos são responsáveis pela sua sustentabilidade. “É importante entender que a prevaricação de um, poderá condenar todos os empresários, e a própria fileira”.

Com a presença da Autoridade Florestal Nacional, Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (ex- DGADR) e Instituto Nacional de Recursos Biológicos, as apresentações focaram essencialmente as normas e procedimentos para exploração de coníferas, segurança na aplicação de produtos fitofarmacêuticos, bem como o contributo da investigação para o controlo do Nemátodo e seu inseto vetor.

Neste encontro foi ainda possível apresentar algumas soluções para o transporte e armazenamento de madeira de coníferas hospedeiras, pela empresa Florgénese, representantes dos produtos STORANET (rede inseticida) e CLOTIANIDINA (inseticida), e da parceria estabelecida com a ANEFA no âmbito de disponibilizar estes produtos aos seus associados com claras vantagens comerciais.

Em Portugal a doença foi detetada em 1999, na Península de Setúbal, sendo que em 2008 a sua presença foi alargada à zona Centro do País, nomeadamente Lousã e Arganil, havendo necessidade de decretar todo o território continental como zona afetada.

Posteriormente, foram detetadas amostras positivas nas regiões de Leiria e Aveiro e definida uma Zona tampão correspondente à área do território continental com uma largura de aproximadamente 20 km adjacente à fronteira com Espanha.

O Nemátodo da Madeira do Pinheiro (Bursaphelenchus xylophilus) é um verme microscópico com cerca de 1,5 milímetros de comprimento, e um dos organismos patogénicos mais perigosos para as coníferas, uma vez que provoca a morte das árvores infetadas.